8 de março de 2019

Tecnologia e liderança não são questões de gênero

Há uma lacuna econômica e cultural entre homens e mulheres: um vasto espaço em que os papéis de gênero governam as oportunidades e os desafios no ambiente profissional. Na área de tecnologia, as distâncias são ainda mais explícitas. Embora haja cada vez mais demanda e sejam geradas mais funções alinhadas com as carreiras em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (disciplinas STEM), a população de mulheres que decide seguir essas carreiras não reflete isso.

De acordo com um estudo do Girl Scout Research Institute, 81% das adolescentes manifestam interesse em seguir carreiras STEM, mas somente 13% as consideram como suas primeiras opções. Da mesma forma, na Argentina, país de origem do Aivo, as estatísticas levantadas pela Chicas en Tecnología e pela Medallia revelam que somente 16% dos inscritos em cursos relacionados à programação são mulheres.

Mas não há razão para se sentir assim e vale a pena lembrar que inteligência, habilidade, talento e habilidade não fazem distinção entre os gêneros. Hoje, a indústria procura abrir portas e adaptar-se para ajudar as mulheres a entrar no mercado de trabalho competitivo, a tornar-se futuras líderes em tecnologia e a nivelar completamente o campo de jogo.

As organizações e o apoio à igualdade

Cada vez mais organizações estão implementando importantes transformações. Mulheres do mundo todo contam hoje com o apoio de instituições como a Women Who Code, Laboratoria ou Chicas en Tecnología. Cada um, em diferentes regiões, tem a missão de representar e inserir mulheres na indústria de tecnologia, proporcionando acesso à educação e ao trabalho no setor.

Muitas empresas também estão fazendo da igualdade de gênero sua prioridade. Marc Benioff, Co-CEO da Salesforce, investiu entre 2015 e 2017 mais de oito milhões de dólares para eliminar uma lacuna salarial detectada entre seus funcionários de sexos diferentes. Em reconhecimento à sua cultura organizacional inclusiva e diversa, a Fortune e Great Place to Work elegeram a Salesforce como a empresa com o melhor ambiente laboral para mulheres em 2018.

Cada vez mais empresas percebem também que a liderança não distingue os gêneros. Em um caso histórico, outro de nossos parceiros, a Zendesk, decidiu incorporar três mulheres muito destacadas em seu Conselho Diretor pouco antes de lançar seu IPO em 2014. Assim, a sua equipe de direção de sete pessoas passou a ser formada por quatro homens e três mulheres.

Na Aivo, oferecer as mesmas oportunidades para homens e mulheres é um compromisso desde o primeiro dia. Por sermos uma empresa global de tecnologia e inovação, queremos dar o exemplo. Procuramos equilibrar nossa equipe e promover uma cultura que reconhece o mérito, sem distinção de gêneros. 45% da nossa equipe é formada por mulheres e 41% dos cargos de direção ou líderes de área são ocupados por elas. Além disso, a companhia oferece programas de formação para todos aqueles que querem potencializar suas carreiras, sem distinção, e licença estendida de paternidade.

Como continuar promovendo a mudança?

Com a diversidade todos nós ganhamos, tanto os funcionários como as empresas. A combinação de várias habilidades, conhecimentos, personalidades e experiências proporciona uma melhor compreensão dos diferentes setores do mercado e do interesse dos consumidores. Respeitar a diversidade e eliminar estereótipos também enriquece tanto o ambiente de trabalho como as relações entre os funcionários. Além disso, um estudo realizado pelo Center for Creative Leadership e Watermark mostra que as organizações com uma elevada percentagem de mulheres têm maior satisfação no trabalho, maior dedicação dos colaboradores e um menor risco de esgotamento. Tudo isso significa, em última análise, uma melhoria significativa na produtividade.

Para colocar ambos sexos em igualdade de condições no ambiente laboral, a mudança deve começar por nós. É necessário romper os estereótipos de gênero e tomar consciência dos papéis naturalizados que seguimos inconscientemente.

Neste contexto, nós conversamos com María Celeste Frascaroli, Product Manager de Aivo, sobre sua experiência ao longo de sua carreira como programadora: “Quando entrei para a equipe de desenvolvimento da Aivo, em 2015, eu era a única mulher. Ali aprendi a trabalhar constantemente entre homens, adaptando-me, e eles sempre me respeitaram. Hoje, quase 20% da equipe é de mulheres, com planos para aumentar ainda mais nossa participação”, ela nos contou.

“Pessoalmente, sinto-me feliz de trabalhar em tecnologia, onde estamos criando coisas novas o tempo todo. Cada indivíduo contribui de forma única para este setor, independentemente de seu gênero. A verdade é que hoje as mulheres estão ganhando o lugar que merecem na tecnologia, não pelo fato de serem mulheres, mas graças às suas habilidades adequadas para o cargo que ocupam”, ela adicionou.

Na Aivo, todos compartilhamos a mesma paixão, e a diversidade faz que tenhamos um estilo próprio, com a contribuição que cada um oferece e o modo como os membros da equipe lidam com cada desafio. Isso enriquece e estabelece um marco de trabalho colaborativo, onde todos aprendem continuamente com suas fortalezas e fraquezas.

Algumas opiniões da família Aivo

Desde o primeiro dia a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres tem sido uma prioridade. Por ocasião deste evento global de comemoração dos direitos das mulheres, abrimos o diálogo sobre inclusão, diversidade e mulheres em tecnologia em nossa empresa. Estas são algumas das opiniões que foram compartilhadas pela nossa família Aivo.

Quer melhorar sua estratégia CX?

Nossas soluções de atendimento ao cliente baseadas em IA conversacional podem ajudar a fornecer uma experiência eficiente 24 horas, 7 dias da semana aos seus clientes. Entre em contato com nossa equipe para saber em detalhes como podemos apoiar seu negócio.